A baixa autoestima e as dietas restritivas

A baixa autoestima está ligada à dificuldade de autoaceitação. Muitas vezes, esse sentimento está ligado ao próprio corpo.
É comum que pessoas com baixa autoestima busquem  mudar radicalmente seu corpo através de dietas restritivas. Hoje vou explicar para você o porquê de isso ser perigoso!
Como o próprio nome sugere, a dieta restritiva é aquela que "restringe" algum grupo nutricional. Durante muito tempo, esse tipo de dieta era vista como a melhor maneira de perder peso de forma rápida. Porém, o que os novos estudos mostram é que ela até emagrece no início, mas é insustentável a longo prazo.
É normal que quem pratica esse tipo de dieta sofra com o chamado "efeito sanfona", que acontece quando a pessoa acaba voltando a ter um peso ainda maior do que o de quando começou a dieta. Isso acontece com 95% das pessoas que tentam seguir uma dieta restritiva. Além das consequências para a saúde, como o maior ganho de peso a longo prazo e um aumento no risco de ter doenças cardiovasculares, problemas de saúde mental podem começar a surgir com a adoção de dietas restritivas. Exemplos de transtornos dessa ordem são a bulimia, a anorexia, a ortorexia e a compulsão alimentar.
Para fugir deste quadro danoso, é importante aprender a lidar com a comida de forma saudável, saber identificar, compreender e sanar comportamentos compulsivos, e estar disposto a mudar os hábitos do dia a dia.
Um nutrólogo faz o acompanhamento correto nesses casos e irá indicar substituições e opções alimentares saudáveis, que possam levar à perda de peso mantendo a saúde do corpo e trazendo bem-estar e autoestima ao indivíduo.

Dra. Laira Metzen
Médica
Pós-graduada em nutrologia
CRM - 23556
http://www.lairametzen.com.br/

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório

Matérias e artigos relacionados: