Cuidar do próprio corpo é uma forma de "auto-amor"

Cuidar do próprio corpo é uma forma de "auto-amor"

A baixa autoestima é um sentimento comum em pessoas inseguras e que buscam agradar aos outros em demasia. A autoestima alta, por outro lado, é uma característica de quem é confiante e possui amor-próprio. Pesquisa realizada pela Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, concluiu que a autoestima elevada pode gerar benefícios para o coração e o sistema imunológico.

Atualmente, os sentimentos de amor próprio e autoestima estão muito ligados à condição estética do corpo, o peso sendo o grande fator, em geral baseado em padrões estéticos inatingíveis. Esses padrões são muitas vezes causa de frustração e autodepreciação. Muitos já se pegaram na frente do espelho analisando (e muitas vezes odiando) cada pedacinho do corpo. Nessa condição, são comuns pensamentos como "eu seria muito mais bonito/a sem essa gordurinha" ou "preciso malhar mais pra ficar bonito/a".

Ao avaliar a própria condição física, é necessário desconsiderar padrões impostos pela mídia e considerar a melhor condição que o seu corpo em particular pode ter, diante da estrutura especial e única dele. E para chegar a esse ponto de "melhor condição", é necessário um olhar especial sobre o corpo, a compreensão de que ele é uma estrutura funcional e bela por si só, que executa funções incríveis e que é responsável por permitir que você execute tudo o que pode executar.

Olhar o corpo com outros olhos e dar a ele as condições para que atinja o máximo potencial é o ponto de partida para o resgate da autoestima. Não esqueça: essa construção precisa ser realizada em conjunto com um profissional especializado. Somente ele tem a formação técnica necessária para reconhecer em qual velocidade, com quais nutrientes, através de quais alimentos, e com quais atividades físicas o seu corpo vai conseguir atingir o máximo potencial.

Meu trabalho de orientação alimentar leva em conta todos os aspectos da vida do paciente. Defino o peso ideal particular, e a partir dessa cuidadosa avaliação, em conjunto com o paciente defino quais alterações no estilo de vida são necessárias para chegar a esse peso, incluindo-se aí fortemente o cardápio alimentar.

Além da redução de peso, outras condições e doenças podem exigir a avaliação de estilo de vida e cardápio alimentar: hipertensão, diabetes, alergias, etc. Também faço análise do plano nutricional para grávidas. Para cada situação, um tipo de avaliação diferente.


Dra. Laira Metzen
Médica
Pós-graduada em nutrologia
CRM - 23556
http://www.lairametzen.com.br/

Fontes:
http://www.eladecide.org/autoestima/saude-da-mulher-corpo-saudavel/
https://gnt.globo.com/bem-estar/noticia/autoestima-e-a-maior-aliada-da-nossa-saude.ghtml
https://www.otempo.com.br/opiniao/vida-saudavel/a-autoestima-e-a-sua-saude-1.1497254
https://saudebrasil.saude.gov.br/ter-peso-saudavel/como-cultivar-um-relacionamento-saudavel-com-seu-corpo
https://compass3d.com.br/estetica-e-bem-estar-o-equilibrio-para-a-conquista-da-autoestima/

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório

Matérias e artigos relacionados: